fábula #18

agosto 24, 2011 § Deixe um comentário

O eco, o arbusto, o penhasco

m.n.f. / 2011

Em frente a todo penhasco vive um eco. Em cima desse penhasco em especial, vivia um arbusto não dos mais robustos. Tudo o que ele fazia era contemplar a vista, e nada dizia. Era uma vez portanto uma conversa entre o Penhasco e o Eco; e da qual arbusto preferiu não participar.

O penhasco vivia mergulhado em si mesmo e sofria de vertigem com todos aqueles pensamentos profundos. A rotina dos dias, o fato de ser um abismo, ou mesmo ter à sua cabeça aqueles galhos; tudo lhe incomodava. Vivia em uma depressão tão geográfica quanto mental.

Um dia, já cansado de si mesmo, o penhasco puxou assunto com o eco.

— Bom dia! − gritou o penhasco.
— Bom dia, dia! − respondeu o eco.

O penhasco continuou.

— Tudo bem? − perguntou o penhasco.
— Bem, bem − disse o eco.
— Que bom! Quem é você? − perguntou o penhasco.
— Você, você… − ecoou o eco.

O penhasco, no alto da sua irritação, não entendeu.

— Você só repete. Você é um estúpido.

E o eco não falou mais nada.

Moral da história: seja bom ou seja ruim, fale o que você gostaria de ouvir; o arbusto tem sempre a razão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento fábula #18 no Querido Bunker,.

Meta

%d blogueiros gostam disto: