Monty Python_ Sobre funerais, Graham Chapman e a eulogia de John Cleese

julho 17, 2008 § 1 comentário

G. Chapman

G. Chapman

Graham Chapman deixou o Monty Python quando, em 1989, precisou ir ao dentista, teve identificado um sinal na garganta, que era na verdade um câncer maligno, e morreu. Quando bateu as botas, John Cleese precisou ser retirado do quarto, chocado que estava em ver o amigo morrendo.

Foi John Cleese quem fez a eulogia [leia] no funeral de Graham Chapman, em 6 de dezembro de 1989, no memorial do St Bartholomew’s Hospital, um evento que foi coisa fina. Assim começou discurso de Cleese: “Graham Chapman, co-autor de ‘Parrot Sketch’, já era! Bateu as botas, esticou as canelas…” e por aí seguiu, parodiando um quadro de Chapman, tentando tirar da fossa os amigos vivos – naquela ocasião, homenageou o amigo sendo o primeiro a dizer “Fuck” em um funeral britânico.

Além de John Clesse, estavam presentes os outros integrantes do Monty Python. Michael Palin, Terry Jones, Eric Idle e Terry Gilliam – rindo com a vista mareada de chorar. Foi esse o clima do funeral, e daí por diante: Eric Idle, que ao lado de Chapman cantou Always Look on the Bright Side of Life no filme Life of Brian, na cena final em que estão ambos crucificados à espera da morte, repetiu a apresentação no enterro do amigo, que acabou indo primeiro.

Veja o vídeo do funeral – com o discurso, as graças e tudo mais:

Em vida, Graham Chapman costumava impressionar barmans apalpando o próprio pênis, como flagrou Douglas Adams uma vez, e além disso era um homem que vivia bêbado desde os tempos mais imberbes. Virava o copo com Ringo Star e Keith Moon, teve delírios alcoólicos na filmagem de Holy Grail, e, em 1977, decidiu pegar leve depois de pisar na bola com os amigos na revista New Musical Express. Outro ponto importante é ter co-fundado o Monty Python, o que não é pouca merda. Antes disso, bem antes disso, estudou medicina em Cambridge sem que nunca chegasse a salvar ou matar alguém profissionalmente, porque escrevia sketches pra BBC com Clesse, que era um amigo de faculdade.

Da direita: Graham Chapman, John Cleese, Eric Idle, Terry Gilliam, Michael Palin and Terry Jones.

Agora, um fato legal: os asteróides 9617, 9618, 9619, 9620, 9621 e 9622, descobertos pelo European Southern Laboratory, em 1993, foram batizados com os nomes dos integrantes do grupo. O asteróide Grahamchapman era um asteróide binário.

É isso…

Lançaram recente no Brasil 4 temporadas do Flying Circus. Comprei na Livraria Cultura, e vocês podem encomendar por aqui, quando a greve dos correios acabar. Li por aí que vem sendo lançado algumas compilações de roteiros, programas de rádio e blocos de Chapman. Inclusive textos dele com Douglas Adams. Mas, acho, que por aqui vai demorar um pouco pra ser lançado.

“Voltaríamos a nos reunir se Graham Chapman voltasse da morte. Bom, estamos negociando com seu agente.” (Eric Idle)

Abraço fraterno,
Márcio N.

Anúncios

§ Uma Resposta para Monty Python_ Sobre funerais, Graham Chapman e a eulogia de John Cleese

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Monty Python_ Sobre funerais, Graham Chapman e a eulogia de John Cleese no Querido Bunker,.

Meta

%d blogueiros gostam disto: